Pessoas do Parque: Marcia, uma capixaba de responsa

 

O sotaque diferente, com aquele "erre" prolongado, que dá a impressão de ressoar na garganta, denuncia: ela não é daqui. Mas os dez anos vivendo em terras galdérias já fazem da capixaba quase uma gaúcha, daquelas que não passa um dia sem chimarrão.

Marcia Fadini é natural de Vitória, Espírito Santo. Da sua cidade natal sente falta da praia e, principalmente, da sua família. Para aplacar a saudade, ao menos uma vez por ano, visita sua terra, onde aproveita pra comer muito peixe e a moqueca que sua mãe prepara. “Entre o churrasco gaúcho e a moqueca, meu coração fica dividido”, confessa, em tom de brincadeira.

Claro que ela teve um bom motivo para debandar para o extremo sul do país: o amor. Formada em Administração, Marcia trabalhava como representante de uma distribuidora de alimentos. A empresa comprava doces de fábricas de SAP e, entre as negociações, o gaúcho Rogerio Pinto, fez seu coração bater mais forte. Com o casamento, ela ganhou duas enteadas: a Clarissa (16), que vive com o casal, e Jéssica (28).

Uma das coisas que mais gosta de fazer é viajar na garupa da moto do seu marido. Os dois já visitaram outras cidades no estado e em Santa Catarina. Agora, pretendem ir mais longe. Em breve, realizarão o sonho de viajar de moto até o Chile. Rogerio já fez o trajeto sozinho e, em outubro, vão percorrer os cinco mil quilômetros de estrada juntos. “Amo a aventura e a sensação de liberdade que é viajar de moto” explica, entusiasmada.

Quando o assunto é futebol, Marcia é completamente indefinida. “No RS, por influência do meu marido, sou gremista. No ES, por causa do meu pai, sou botafoguense. Por escolha própria, sou corinthiana. Sou fácil de ser influenciada” conta, com um sorriso no rosto.

No Parque

Marcia está há dois anos no Parque da Guarda, onde é responsável pela parte administrativa e financeira, mas também faz o receptivo dos grupos de visitantes quando necessário. “Gosto de trabalhar com o público, e o serviço aqui proporciona isso”, explica. Além do trabalho, a administradora e sua família aproveitam para se exercitar na Academia do Parque e praticar Hidroginástica.

Uma das atrações que mais gosta no clube é o Memorial-da-Cana-de-açúcar, que costuma visitar com frequência. Mas, entre tudo que o complexo oferece, tem uma característica que a encanta de maneira especial: o contato com a natureza. “Como nasci em uma capital, isso era raro pra mim. Aqui, tenho essa experiência diariamente”, se emociona.

Perfil

Nome: Marcia Xavier Fadini
Idade: 35
Função: Administrativo e Financeiro
Livro: O Monge e o Executivo
Pet: Um pinscher chamado Pretinho
Local preferido do Parque: Memorial da Cana-de-Açúcar
Conselho para os sócios: Aproveitar o espaço ao ar-livre que o Parque oferece